profissional de ortodontia examinando boca de paciente

Ortodontia o que é, objetivos e mais sobre a especialização!

A ortodontia tem fama por ser capaz de transformar o sorriso dos brasileiros. O profissional ortodontista tem o conhecimento para ajustar a oclusão e alinhar os dentes da melhor forma, para que não gere problemas futuros. Entenda melhor o que é Ortodontia abaixo:

Ortodontia, o que é?

A ortodontia é uma especialidade da odontologia que se dedica ao estudo, prevenção, diagnóstico e tratamento de problemas relacionados à posição dos dentes e ossos maxilares.

O objetivo principal da ortodontia é corrigir irregularidades dentárias, como má oclusão (mordida inadequada), espaçamento excessivo entre os dentes, apinhamento ou sobreposição de dentes.

Os profissionais especializados em ortodontia, conhecidos como ortodontistas, utilizam diferentes técnicas para corrigir essas irregularidades. Os tratamentos ortodônticos podem envolver o uso de vários tipos de aparelho de dente.

O tratamento visa não apenas melhorar a estética do sorriso, mas também promover uma oclusão adequada, o que contribui para a saúde bucal e a função mastigatória.

O tratamento desempenhado por um ortodontista é personalizado para atender às necessidades específicas de cada paciente.

É comum que o tratamento dure vários meses a alguns anos, dependendo da complexidade do caso. Durante o processo, são realizadas consultas regulares para ajustes e monitoramento do progresso.

A ortodontia desempenha um papel crucial na promoção da saúde bucal, contribuindo para a prevenção de problemas periodontais, melhorando a função mastigatória e promovendo uma estética facial equilibrada.

O ortodontista trabalha em conjunto com outros profissionais da odontologia para proporcionar um sorriso saudável e harmonioso.

Quais são os tipos de ortodontia?

Vimos acima que o tratamento de ortodontia visa o bem estar e melhora da autoestima dos pacientes, mas você sabe quais são os tipos de ortodontia? Se não, leia abaixo. 

Ortodontia preventiva

criança sendo avaliada por profissional ortodontista

Como o próprio nome sugere, a ortodontia preventiva visa prevenir ou corrigir precocemente problemas ortodônticos em crianças, antes que se tornem mais graves.

Essa prática busca intervir enquanto o paciente ainda está em fase de crescimento e desenvolvimento, aproveitando as características naturais do crescimento facial e dental.

É recomendado que as crianças façam uma avaliação ortodôntica precoce, geralmente por volta dos 7 anos de idade, mesmo que não tenham todos os dentes permanentes. Isso permite ao ortodontista identificar problemas em estágios iniciais.

A ortodontia preventiva aborda hábitos bucais que podem influenciar o desenvolvimento da mordida e da posição dos dentes, como chupar o dedo, uso prolongado de chupeta, entre outros.

O ortodontista pode monitorar a erupção dos dentes permanentes e intervir se houver indícios de problemas, orientando o correto posicionamento dos dentes.

Ao agir precocemente, a ortodontia preventiva procura otimizar o desenvolvimento da estrutura facial e dental da criança, proporcionando uma base sólida para a saúde bucal a longo prazo.

Essa abordagem pode contribuir para reduzir a necessidade de tratamentos ortodônticos mais complexos no futuro.

Ortodontia interceptativa

jovem sentada na cadeira do dentista aguardando atendimento

A ortodontia interceptiva serve para garantir que problemas ligados a má oclusão e mordida errada possam ser resolvidos, também servindo para que no futuro não se torne um problema mais grave. 

O objetivo é interromper o progresso de condições que se não tratadas de forma precoce, poderiam levar a complicações mais graves no futuro. Essa abordagem visa a correção de questões ortodônticas durante a fase de crescimento e desenvolvimento do paciente.

Umas das técnicas utilizadas neste tratamento é a expansão palatina, que cria espaços adicionais para os dentes superiores se alinharem corretamente.

O ortodontista, nesse caso, pode intervir para guiar a erupção adequada dos dentes permanentes, assegurando que eles ocupem posições apropriadas na arcada.

Ortodontia corretiva

mulher utilizando aparelho fixo metal deitada na cadeira do dentista

Diferente da ortodontia interceptativa, que busca prevenir ou interromper problemas em estágios iniciais de desenvolvimento, a ortodontia corretiva lida com questões que já estão presentes e necessitam de intervenção para promover a correção.

Os aparelhos ortodônticos fixos, muitas vezes conhecidos como “ferrinhos” ou “braquetes”, são usados para alinhar os dentes gradualmente ao longo do tempo.

Eles consistem em bráquetes colados aos dentes e fios que exercem pressão para movimentar os dentes para suas posições desejadas.

Em alguns casos mais complexos, pode ser necessário um procedimento cirúrgico para corrigir questões esqueléticas, como desalinhamento da mandíbula. A cirurgia ortognática é um exemplo desse tipo de abordagem.

Após a fase ativa do tratamento ortodôntico, dispositivos de contenção são frequentemente utilizados para manter os dentes na posição corrigida e evitar que voltem à sua posição original.

O tratamento ortodôntico corretivo é personalizado para atender às necessidades individuais de cada paciente. Antes de iniciar qualquer tratamento, é realizada uma avaliação completa para determinar o plano mais adequado para alcançar os resultados desejados.

O que é tratamento ortodôntico?

O tratamento ortodôntico é um conjunto de procedimentos e técnicas utilizados para corrigir irregularidades nos dentes e nos ossos maxilares.

O principal objetivo desse tratamento é melhorar a oclusão dentária (encaixe dos dentes superiores com os inferiores), promover uma mordida adequada e, consequentemente, melhorar a função mastigatória, a estética do sorriso e a saúde bucal.

Existem diferentes tipos de tratamentos ortodônticos, cada um utilizando técnicas específicas para corrigir problemas dentários e de oclusão. 

  • Aparelhos fixos convencionais: este é o tipo mais tradicional de ortodontia, que utiliza braquetes (pequenas peças metálicas) coladas aos dentes e fios metálicos para mover os dentes gradualmente. Podem ser customizados com borrachinhas coloridas.
  • Aparelhos fixos estéticos: são semelhantes aos aparelhos fixos convencionais, mas utilizam materiais mais estéticos, como braquetes de cerâmica ou porcelana, tornando-os menos visíveis.
  • Aparelhos removíveis: são aparelhos que o paciente pode retirar para comer, escovar os dentes e em outras situações. Incluem alinhadores transparentes, expansores palatinos e aparelhos removíveis para correção de más oclusões.
  • Aparelhos autoligados: neste tipo, os braquetes possuem presilhas especiais que dispensam o uso de borrachinhas elásticas. Isso pode resultar em menos atrito e, em alguns casos, um tratamento mais rápido.
  • Ortodontia lingual: nesse método, os braquetes são fixados na parte de trás dos dentes, tornando-os praticamente invisíveis quando o paciente sorri. É uma opção estética para quem deseja um tratamento discreto.
  • Alinhadores transparentes: são uma opção popular para adultos e adolescentes. Consistem em séries de alinhadores removíveis feitos sob medida para se encaixar nos dentes do paciente. Exemplos conhecidos são Invisalign e ClearCorrect.
  • Ortopedia funcional dos maxilares (OFM): essa abordagem busca corrigir desequilíbrios no crescimento facial e na posição dos maxilares, muitas vezes utilizando aparelhos funcionais que estimulam o crescimento adequado.
  • Cirurgia Ortognática: em casos mais complexos, nos quais a correção dos problemas ortodônticos não pode ser realizada apenas com aparelhos, a cirurgia ortognática pode ser indicada. Essa abordagem combina procedimentos cirúrgicos nos ossos maxilares com o tratamento ortodôntico para corrigir problemas faciais.

A escolha do tipo de ortodontia depende das necessidades específicas do paciente, do grau de complexidade do caso, da preferência estética e de outros fatores.

O ortodontista é o profissional indicado para avaliar e recomendar o tratamento mais adequado para cada situação.

O que é documentação ortodôntica?

homem realizando procedimento para fazer documentação ortodôntica

A documentação ortodôntica refere-se ao conjunto de registros e informações coletados pelo ortodontista para realizar uma avaliação completa do paciente, diagnosticar problemas ortodônticos e planejar o tratamento adequado.

Esses registros são essenciais para criar um plano de tratamento personalizado e acompanhar a evolução ao longo do tempo.

A documentação ortodôntica pode incluir imagens radiográficas, como radiografias panorâmicas e telerradiografias (perfil), são frequentemente utilizadas para avaliar a posição dos dentes, a relação entre o osso maxilar e mandibular, e outras estruturas faciais.

Fotos do rosto, perfil e boca são tiradas para documentar a aparência inicial do paciente e ajudar na avaliação das mudanças ao longo do tratamento.

Moldes ou modelos tridimensionais dos dentes e da mordida são feitos a partir de impressões da boca. Esses modelos são úteis para analisar a posição atual dos dentes e planejar os movimentos necessários.

Além dos registros visuais, radiográficos e modelos, exames clínicos detalhados são realizados, incluindo a análise da oclusão (encaixe dos dentes), avaliação da função da articulação temporomandibular (ATM) e outros aspectos relevantes. 

Com base nesses registros, o ortodontista pode fazer um diagnóstico preciso, identificar os problemas a serem corrigidos e desenvolver um plano de tratamento personalizado. 

Descubra: qual a diferença de ortodontia para periodontia?

Vimos acima, as principais características da ortodontia, mas você conhece a periodontia? Veremos agora quais são as particularidades que diferenciam uma especialização da outra. 

A ortodontia lida com o alinhamento dos dentes e a correção de problemas relacionados à mordida e à posição dos dentes.
O ortodontista utiliza aparelhos ortodônticos, como bráquetes, fios e aparelhos removíveis, para movimentar os dentes e corrigir a posição deles.

Má oclusão, dentes desalinhados, espaçamentos irregulares, sobremordida, mordida cruzada, entre outros, são os problemas tratados nessa área. 

Já no caso da periodontia há concentração na saúde das estruturas de suporte dos dentes, como gengivas, osso alveolar e ligamento periodontal.
O periodontista trata condições como gengivite, periodontite, recessão gengival, cirurgias periodontais, enxertos gengivais e implantes dentários.

Inflamações gengivais, perda óssea ao redor dos dentes, bolsas periodontais e mobilidade dentária devido a problemas periodontais, são os problemas tratados na periodontia.

Visitas regulares ao dentista

As visitas regulares garantem ao paciente a oportunidade de realizar consultas odontológicas e oferecem ao profissional a possibilidade de acompanhar a sua saúde bucal e prevenir doenças.

Além disso, por meio das visitas regulares é possível estabelecer um histórico odontológico, o que garante que o dentista tenha acesso aos procedimentos odontológicos já realizados e a possíveis tratamentos para garantir a sua saúde bucal.

A visita a uma clínica odontológica OralDents não visa só um sorriso mais bonito, mas também uma melhor qualidade de vida.

O seu sorriso é nossa prioridade! Confie na OralDents!

Você também pode gostar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *