obturação de dente

Obturação de dente: saiba de tudo o que você precisa!

O dentista falou que você precisa fazer uma obturação de dente e você está com medo?

Saiba que essa reação é muito comum entre os pacientes, mas que pode ser um pouco precipitada.

Neste artigo, vamos tirar todas as suas dúvidas sobre o procedimento e desmistificá-lo antes de sua consulta:

Obturação de dente, o que é?

O procedimento de obturação de dente é um dos procedimentos mais temidos pelos pacientes em suas visitas ao consultório. Contudo, a obturação é o tratamento para um dos problemas mais comuns que afetam a zona bucal, a cárie.

A cárie, por sua vez, é a deterioração do dente, comumente causada por bactérias deixadas pelo consumo de alimentos muito açucarados e uma má higienização. Logo, para evitar a obturação, a saída está em uma higiene bucal correta e em uma alimentação evitando alimentos ricos em açúcar.

Para o diagnóstico da cárie, o dentista irá usar um instrumento metálico fino que irá ser usado para explorar o esmalte dos dentes, identificando a presença de alguma cavidade escura, dor e sensibilidade.

Além disso, para identificar a gravidade do problema, o dentista também irá encaminhar o paciente para a realização de radiografias dentais, que poderá mostrar se algum outro dente foi atingido, e se houve o comprometimento do nervo.

O tratamento da cárie pode ser feito com a aplicação de flúor, obturações e pela colocação de coroas dentárias. Casos graves podem pedir a realização do tratamento de canal ou até mesmo a extração do dente.

Contudo, mesmo tendo como indicação principal a presença da cárie no dente, a obturação também pode ser realizada em caso de dentes partidos ou rachados e no tratamento do bruxismo, devolvendo a função do dente comprometido.

Como é feita a obturação de dente?

A obturação é feita para promover o selamento do canal radicular (raiz do dente), presente dentro do osso.

Para a realização do procedimento, o dentista irá fazer a aplicação de uma anestesia local no dente. É feita a remoção do tecido cariado, seguida do uso de obturador que irá atuar tampando a cavidade, evitando que a cárie acabe por se desenvolver novamente.

Feito esses passos, é feita a restauração do dente, ou dos dentes tratados, havendo o uso de um material específico para reconstruir a estrutura do dente afetado. Existem uma série de possíveis materiais que podem ser utilizados, que variam quanto a sua estética e durabilidade. A escolha do material deverá ser alinhada com o paciente e o dentista durante o planejamento do procedimento.

Após a finalização do procedimento, o paciente será orientado pelo dentista, devendo tomar alguns cuidados para que o material restaurador se mantenha rígido e que não haja o risco de alguma complicação. Entre as recomendações estão evitar alimentos muito quentes ou frios, o consumo de chicletes, escovar bem os dentes, dando mais atenção ao(s) obturado(s).

obturação dente

Quais são os principais tipos de material restaurador?

Como vimos, para a finalização da obturação o dentista faz a selagem da estrutura do dente com o uso de um material específico.

Confira quais são os principais tipos de materiais usados:

Amálgama

A amálgama, atualmente, é um material que caiu em desuso no meio odontológico, considerando as pesquisas feitas sobre o seu uso envolvendo a toxicidade do material ao meio ambiente.

No entanto, o seu uso para esse fim se iniciou a mais de 100 anos atrás, e há alguns anos atrás era o principal material restaurador utilizado.

Resina composta

Quanto à resina composta, atualmente é o material mais utilizado, tendo recebido vários aprimoramentos com o tempo com as evoluções de pesquisas científicas.

A resina, por conta de seus benefícios, como coloração semelhante da cor do dente, versatilidade e boa resistência às forças exercidas pelo dente, também pode ser utilizada em vários outros procedimentos odontológicos, como aparelho ortodôntico, coroas e próteses dentárias.

Cerâmica

As restaurações feitas de porcelana ou cerâmica não são tão comuns quanto as feitas em resina, mas se destacam quanto ao fator estético, apresentando propriedades superiores de translucidez ou translucência, fazendo com que sejam quase imperceptíveis sobre os dentes naturais.

Possuem um valor mais elevado, já que são confeccionadas em um laboratório de prótese por meio de moldes feitos pelo dentista, sendo ao final aplicadas ou cimentadas aos dentes naturais pelo mesmo. Assim como a resina composta, a cerâmica pode ser utilizada na confecção de coroas, pivots e facetas dentárias.

Ionômero de vidro

O ionômero de vidro, assim como amálgama, é um dos materiais restauradores mais antigos, estando no mercado desde 1975, também passando por uma série de evoluções até aos dias atuais.

Quanto às vantagens desse material estão a sua ação anticariogênica, a liberação de fluoreto por um longo período de tempo, ligação química à estrutura do dente, ligas não preciosas e ouro recoberto com estanho, e boa adesão. No entanto, em contrapartida o material possui baixa resistência à tração, vulnerabilidade à desidratação e baixa tenacidade à fratura.

Obturação caiu, o que fazer?

É muito importante seguir as orientações dadas pelo dentista e optar por um bom material restaurador para evitar possíveis quedas. A queda da obturação pode ocorrer devido à presença de cárie no local, infiltração e quebra.

Quando isso ocorre, é necessário remover os pedaços da obturação para que não haja risco de consumi-los. Feito isso, é necessário recorrer a um consultório odontológico para que o procedimento seja refeito.

Caso a consulta não puder ser feita de imediato, é muito importante se atentar a cuidados como: escovar os dentes levemente, evitando a região que estava obturada, evitar alimentos duros e crocantes e realizar bochechos de água morna com sal após as escovações.

Na presença de dores e incômodos, é possível ser feito o uso de analgésicos e antiinflamatórios de venda livre.

No entanto, é importante que o contato com o dentista seja feito o mais rápido possível, para que além do tratamento das dores e desconforto, possa ser investigada e tratada uma possível inflamação na polpa, que pode fazer com que o paciente seja encaminhado a um tratamento de canal.

obturação no dente

LEIA TAMBÉM: Saiba quanto custa uma obturação e o que você precisa sobre!

Visitas regulares ao dentista

As visitas regulares garantem ao paciente a oportunidade de realizar consultas odontológicas e oferecem ao profissional a possibilidade de acompanhar a saúde bucal dos pacientes.

Além disso, através das visitas regulares é possível estabelecer um histórico odontológico, o que garante que o dentista possa ter acesso a todos os procedimentos odontológicos que você já realizou.

Por meio delas também é possível identificar e tratar problemas como a cárie e o tártaro antes que se tornem complicações graves.

Isso só é possível por meio do tratamento precoce, que garante que eles não evoluam ameaçando a saúde de toda a boca.

Por meio delas também é possível realizar tratamentos rotineiros, como a profilaxia, que é a limpeza profissional dos dentes e deve ser realizada de 6 em 6 meses.

A profilaxia também garante a possibilidade de realizar a raspagem de tártaro e remoção da placa bacteriana.

Logo, as visitas periódicas também tornam possível o aconselhamento a respeito de bons hábitos de higiene bucal, fazendo assim com que o paciente melhore seus cuidados diários.

Uma visita a uma clínica odontológica OralDents não visa só um sorriso mais bonito, mas também uma melhor qualidade de vida.

O seu sorriso é nossa prioridade! Confie na OralDents!

Você também pode gostar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *