Zoom em zona bucal com espaço entre os dentes do diastema

O que é diastema? Tire suas dúvidas sobre tratamentos e causas!

Com certeza você já viu alguém que tenha diastema, ou até mesmo você tenha. Afinal, é normal ter diastema? 

Saiba tudo sobre o o que é diastema, seus tratamentos e consequências:

O que é diastema?

Diastema refere-se ao espaço ou intervalo entre dois dentes adjacentes, especialmente entre os dentes frontais. Este espaço pode ocorrer naturalmente ou ser influenciado por diversos fatores.

O diastema é mais comumente associado aos dentes da frente, especialmente entre os incisivos superiores, onde é frequentemente observado como um espaço visível entre esses dentes.

Famosos como Madonna, Elton John, Amy Winehouse e Ronaldo Fenômeno, apresentam esse espaço entre os dentes.
Esses exemplos destacam como as características individuais, incluindo diastemas, podem contribuir para a singularidade e identidade visual de uma pessoa. 

O que causa diastema?

Fatores que causam diastema:

1. Fatores Genéticos

Em alguns casos, a genética pode desempenhar um papel na presença de diastemas. Algumas pessoas têm uma predisposição genética para espaços entre os dentes.

2. Tamanho dos Dentes e da Mandíbula

Diferenças no tamanho dos dentes, na largura da mandíbula ou na relação entre os dentes superiores e inferiores podem contribuir para a formação de diastemas.

3. Hábitos de Sucção

O uso prolongado de, mamadeiras ou sucção do polegar durante a infância pode afetar o alinhamento dos dentes e contribuir para a formação de diastemas.

4. Falta de Dentes

A ausência de um ou mais dentes pode resultar em espaços entre os dentes remanescentes.

5. Problemas Periodontais

A periodontite, que afeta as gengivas e os tecidos de suporte dos dentes, podem levar à mobilidade dos dentes e à formação de espaços.

6. Hábitos Orais Anormais

Certos hábitos, como pressionar a língua contra os dentes ou inserir objetos entre os dentes, podem contribuir para a formação de diastemas.

É normal ter diastema dental?

molde de dentes com diastema

Sim, é normal ter diastema dental. 

Em algumas culturas e sociedades, o diastema é considerado uma característica estética e única, sendo abraçado por muitas pessoas.

No entanto, em casos em que o diastema causa desconforto funcional ou estético significativo, algumas pessoas podem optar por buscar tratamento ortodôntico ou procedimentos estéticos para fechar o espaço entre os dentes.

É importante destacar que a presença de diastema por si só não indica um problema de saúde bucal. Se você tem dúvidas ou preocupações sobre o diastema ou qualquer aspecto da sua saúde bucal, é recomendável consultar um dentista.

O profissional poderá avaliar sua condição, fornecer orientações personalizadas e discutir opções de tratamento, se necessário.

Aceitação do diastema 

A percepção da beleza é altamente subjetiva e varia de pessoa para pessoa, de cultura para cultura e ao longo do tempo. Muitas pessoas acham que o diastema acrescenta charme e autenticidade ao sorriso.

Nos dias de hoje, a aceitação de características naturais e individuais, incluindo o diastema, tem aumentado. Muitas celebridades e figuras públicas têm diastema e o exibem com orgulho, contribuindo para a diversidade de padrões de beleza.

Algumas pessoas buscam procedimentos estéticos para corrigir o diastema, enquanto outras o consideram uma parte atraente de sua aparência. Em última análise, a beleza é subjetiva, e o importante é que cada pessoa se sinta confortável e confiante com sua própria aparência.

Como fechar diastema?

O tratamento para diastema pode variar dependendo da causa e da preferência do paciente. Em alguns casos, tratamentos ortodônticos, como o uso de aparelhos, podem ser recomendados para fechar o espaço entre os dentes.

Em situações estéticas, procedimentos de restauração, como facetas ou lentes de contato dentais, podem ser considerados para melhorar a aparência e promover um melhor efeito antes e depois do diastema. Conheça os possíveis tratamentos:

Tratamentos ortodônticos

fechamento de diastema através de aparelho ortodôntico

  • Aparelho fixo (Tradicional):
    Os aparelhos fixos são compostos por bráquetes presos aos dentes e fios que passam por eles. O ortodontista ajusta periodicamente esses fios para mover os dentes gradualmente e fechar o diastema.
  • Aparelhos estéticos:
    Aparelhos estéticos, como os de cerâmica ou safira, são semelhantes aos aparelhos tradicionais, mas os materiais utilizados são mais discretos e menos perceptíveis.
  • Aparelhos removíveis (Alinhadores invisíveis):
    Alinhadores invisíveis, como Invisalign, são dispositivos removíveis feitos sob medida que se encaixam nos dentes. Eles são transparentes e proporcionam uma abordagem discreta para corrigir diastemas.
  • Mantenedores de espaço:
    Em alguns casos, especialmente em crianças, um mantenedor de espaço pode ser usado para preservar o espaço onde um dente permanente ainda não erupcionou. Isso pode ajudar a evitar a formação de diastemas.
  • Aparelhos fixos com bandas elásticas:
    Bandas elásticas podem ser usadas em combinação com aparelhos fixos para auxiliar no fechamento do diastema. O ortodontista determinará a configuração mais adequada para cada caso.

O tratamento ortodôntico geralmente leva algum tempo, variando de alguns meses a alguns anos, dependendo da complexidade do caso. 

Tratamentos estéticos

profissional fazendo facetas para corrigir diastema

  • Lentes de contato dental:
    Lentes de contato dental são facetas dentárias ultrafinas que são aplicadas na parte frontal dos dentes para melhorar a estética. Elas podem ser uma opção para corrigir diastemas e outros problemas estéticos.
  • Facetas dentárias:
    Facetas dentárias são camadas finas de porcelana ou resina compostas que são colocadas sobre a superfície dos dentes para melhorar sua aparência. Elas podem ser utilizadas para corrigir diastemas, alterar a forma ou a cor dos dentes.
  • Restaurações dentárias (Odontologia restauradora):
    Restaurações como resinas compostas podem ser utilizadas para preencher pequenos espaços entre os dentes. Essas restaurações são moldadas para se misturarem naturalmente com os dentes adjacentes.
  • Contorno dental:
    O contorno dental envolve a remoção controlada de pequenas quantidades de esmalte dental para ajustar a forma dos dentes. Pode ser uma opção para suavizar irregularidades e corrigir diastemas leves.
  • Botox para hiperatividade muscular:
    Em alguns casos, quando há uma hiperatividade muscular que contribui para o diastema, a aplicação de botox em certos músculos pode ser considerada para reduzir essa atividade.
  • Gengivoplastia:
    A gengivoplastia envolve a remodelação do tecido gengival para criar uma linha gengival mais estética ao redor dos dentes. Em alguns casos, isso pode ajudar a melhorar a aparência de diastemas.

Cada caso é único, e é importante consultar um dentista para uma avaliação adequada e para discutir as opções de tratamento disponíveis com base nas necessidades específicas de cada pessoa.

Quais as consequências de não tratar o diastema?

Os espaço entre os dentes, em si pode não causar danos à saúde bucal. No entanto, em alguns casos, dependendo da causa subjacente e da configuração específica dos dentes, pode haver consequências associadas à não realização do tratamento.

  1. Acúmulo de alimentos e placa bacteriana:
    Diastemas podem facilitar o acúmulo de restos de alimentos e placa bacteriana entre os dentes. Isso pode aumentar o risco de cáries dentárias e doenças gengivais.
  2. Problemas de fala:
    Em alguns casos, diastemas significativos podem afetar a fala, especialmente se o espaço influenciar a posição da língua ao pronunciar certos sons.
  3. Deslocamento de dentes adjacentes:
    Em casos de diastemas mais largos, pode haver uma tendência para os dentes adjacentes se movimentarem para ocupar o espaço vago. Isso pode levar a alterações na mordida e na oclusão.
  4. Problemas mastigatórios:
    Em alguns casos, a presença de diastema pode afetar a eficiência da mastigação, especialmente se houver um desalinhamento significativo dos dentes.
  5. Risco de traumatismo:
    Dependendo da posição do diastema, há um ligeiro aumento no risco de traumatismo nos dentes adjacentes, especialmente se houver contato frequente com objetos externos durante atividades como a mastigação.
  6. Complicações periodontais:
    Em alguns casos, diastemas podem contribuir para problemas periodontais, como gengivite ou periodontite, especialmente se houver dificuldades na higienização adequada.

É importante ressaltar que nem todos os diastemas requerem tratamento, e a decisão de buscar ou não intervenção dependerá das preferências do paciente, das considerações estéticas e de saúde bucal.

Visitas regulares ao dentista

Vale lembrar que as visitas regulares são de extrema importância para um tratamento odontológico eficaz.

Além disso, através do seu histórico odontológico, é possível observar mais de perto a evolução do seu tratamento.
E, caso algum cuidado adicional precise ser realizado, é possível começar logo.

Isso só é possível por meio do tratamento precoce, que garante que eles não evoluam ameaçando a saúde de toda a boca.

Por meio delas também é possível fazer tratamentos rotineiros, como a profilaxia, que é a limpeza profissional dos dentes e deve ser realizada semestralmente (de 6 em 6 meses).

A profilaxia também garante a possibilidade de fazer a raspagem de tártaro e retirada da placa bacteriana.

Logo, as visitas periódicas também tornam possível o aconselhamento a respeito de bons hábitos de higiene bucal, fazendo assim com que o paciente melhore seus cuidados diários.

A visita a uma clínica odontológica OralDents não visa só um sorriso mais bonito, mas também uma melhor qualidade de vida

O seu sorriso é nossa prioridade! Confie na OralDents!

Você também pode gostar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *