paciente querendo saber o que é amigdalite

O que é amigdalite? Confira mais a seu respeito neste artigo

A amigdalite é uma condição que consiste na inflamação das amígdalas, provocada por uma infecção por vírus ou bactérias nesta estrutura.

Portanto, para saber mais sobre o que é amigdalite e mais informações a respeito desta condição continue acompanhando o artigo abaixo:

O que é amigdalite?

A amigdalite é uma doença provocada por uma infecção por microrganismos que afeta as amígdalas, que são órgãos do sistema linfático que ficam posicionados no início da garganta.

Ela é caracterizada pela inflamação das amígdalas e pode ser provocada por vírus e bactérias e também pode surgir como um caso único ou em casos de repetição.

Seu contágio pode ocorrer a partir do compartilhamento de objetos contaminados ou do contato direto com a saliva contaminada.

Esta infecção também pode afetar pacientes de qualquer idade, sejam eles idosos ou bebês.

Tipos de amigdalite

Assim como foi dito anteriormente, a amigdalite pode ser dividida em diferentes tipos, recebendo classificações de acordo com o agente causador ou por conta de suas características.

Sendo assim, confira como é cada tipo de amigdalite:

  • A amigdalite bacteriana diz respeito à infecção que é provocada por bactérias e é caracterizada pelo surgimento de placas de pus na garganta e amígdalas;
  • A amigdalite viral é a infecção provocada por vírus e geralmente tende a provocar apenas os sintomas convencionais e a vermelhidão da garganta;
  • A amigdalite crônica diz respeito a amigdalite que ocorre de forma repetitiva, surgindo vários casos seguidos;
  • A amigdalite aguda corresponde a amigdalite que ocorre de forma isolada, ou seja, um único caso sem o aparecimento de repetições.

Causas da amigdalite

Causas da amigdalite

Assim como foi dito anteriormente, a amigdalite é uma infecção que é provocada por vírus ou bactérias e geralmente surgem por conta do contato direto com o microrganismo causador.

Desta forma, sua transmissão geralmente ocorre por conta do compartilhamento de objetos contaminados, como talheres e copos, tosse, espirros e beijos.

Seu contágio pode ser facilitado por conta de alguns fatores, como:

  • Queda na imunidade;
  • Clima frio e seco;
  • Consumo de cigarros;
  • Refluxo gastroesofágico.

Portanto, é importante que o paciente tome cuidado para evitar o contato direto com pacientes contaminados para prevenir o surgimento desta condição.

Quais são os sintomas de amigdalite?

A amigdalite é uma condição que afeta a garganta do paciente e pode ter alguns sintomas que se diferenciam nos casos virais e bacterianos.

Sendo assim, confira quais são os principais sintomas de amigdalite:

  • Dor de garganta;
  • Perda de apetite;
  • Incômodos para engolir;
  • Dor de ouvido;
  • Formação de placas esbranquiçadas de pus no fundo da garganta nos casos de amigdalite bacteriana;
  • Febre;
  • Halitose;
  • Formação de nódulos ou ínguas no pescoço;
  • Dor de cabeça.

Em bebês os sintomas podem se diferenciar um pouco, no entanto, é possível identificá-la através da recusa em se alimentar e na alta irritabilidade da criança.

Como diagnosticar?

O diagnóstico da amigdalite é feito no próprio consultório, a partir de uma avaliação clínica dos sintomas que pode ser feita tanto por um médico quanto por um dentista.

A partir da avaliação clínica o profissional será capaz de avaliar os sintomas e confirmar se realmente trata-se de um caso de amigdalite.

Em alguns casos também pode ser necessário realizar alguns exames de cultura para identificar quais são os microrganismos responsáveis por provocar a inflamação das amígdalas.

Por meio da identificação do agente patológico o profissional consegue receitar um tratamento adequado e mais eficaz para o paciente.

Como é feito o tratamento da amigdalite

Como é feito o tratamento da amigdalite?

O tratamento da amigdalite é feito de maneiras diferentes de acordo com sua causa, portanto a viral e a bacteriana são tratadas de formas diferentes.

A amigdalite viral geralmente se trata de um caso de amigdalite aguda e, assim como diversas condições provocadas por vírus, geralmente desaparece após alguns dias de forma espontânea.

Sendo assim, seu tratamento consiste no uso de medicamentos com o objetivo de tratar os sintomas, como febre e dor, ou seja, através do uso de anti-inflamatórios, antitérmicos e analgésicos.

Já nos casos da amigdalite bacteriana pode ser solicitado um exame de cultura para identificar qual é a bactéria responsável por provocar a inflamação.

Após sua identificação o profissional então pode receitar o antibiótico adequado para tratar esta complicação.

Além destes tratamentos, a amigdalite de repetição também é tratada de forma diferente, isto se deve ao fato de que quando esta condição afeta o paciente repetidas vezes em um curto período de tempo pode ser indicado a remoção das amígdalas.

É importante lembrar que não é recomendado de forma alguma a automedicação e a interrupção do tratamento por conta própria, o que se deve ao fato de que isto pode trazer complicações.

Como prevenir o surgimento da amigdalite?

Assim como foi visto no artigo acima, a amigdalite é uma complicação que é provocada pela ação de bactérias e vírus. Sendo assim, sua prevenção é feito a partir de alguns cuidados que podem ser adotados para prevenir o seu surgimento, tais como:

  • Higienizar as mãos regularmente;
  • Evitar beijar ou compartilhar objetos, como talheres ou copos, com pessoas que estiverem resfriadas ou com dor de garganta;
  • Evitar consumir cigarros e ficar próximo a pessoas que estejam fumando, pois a fumaça do cigarro afeta a integridade da garganta do paciente;
  • Utilizar umidificadores de ar quando o clima estiver muito seco;
  • Manter-se bem hidratado;
  • Consultar-se com um profissional ao sentir algum dos sintomas de amigdalite;
  • Procurar tratamento para o refluxo gastroesofágico caso sofra com esta condição;
  • Evitar a automedicação e interromper o tratamento antes do tempo adequado.

Visitas regulares ao dentista

As visitas regulares garantem ao paciente a oportunidade de realizar consultas odontológicas e oferecem ao profissional a possibilidade de acompanhar a saúde bucal dos pacientes.

Além disso, através das visitas regulares é possível estabelecer um histórico odontológico, o que garante que o dentista possa ter acesso a todos os procedimentos odontológicos que você já realizou.

Por meio delas também é possível identificar e tratar problemas como a cárie e o tártaro antes que se tornem complicações graves.

Isso só é possível por meio do tratamento precoce, que garante que eles não evoluam ameaçando a saúde de toda a boca.

Elas também tornam possível realizar tratamentos rotineiros, como a profilaxia, que é a limpeza profissional dos dentes e deve ser realizada de 6 em 6 meses.

A profilaxia também garante a possibilidade de realizar a raspagem de tártaro e remoção da placa bacteriana.

Logo, as visitas periódicas também tornam possível o aconselhamento a respeito de bons hábitos de higiene bucal, fazendo assim com que o paciente melhore seus cuidados diários.

A visita a uma clínica odontológica OralDents não visa só um sorriso mais bonito, mas também uma melhor qualidade de vida.

O seu sorriso é nossa prioridade! Confie na OralDents!

Você também pode gostar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *