Zoom em língua sob a suspeita de leucoplasia pilosa

Leucoplasia pilosa: conheça seus sintomas, causas e tratamento

A leucoplasia pilosa é um tipo de leucoplasia que, diferentemente da convencional, não é provocada por hábitos que irritam os tecidos bucais.

Sendo assim, para saber mais a seu respeito, como como tratar e prevenir, continue acompanhando o artigo abaixo:

O que é leucoplasia pilosa?

Afinal, o que é leucoplasia pilosa? A leucoplasia pilosa diz respeito a um tipo de leucoplasia que é responsável por provocar o surgimento de uma placa no interior da boca que passa a sensação de possuir pequenos pelinhos em sua superfície.

Geralmente essa condição é causada por um vírus que tende a se manifestar apenas quando há uma queda na imunidade do paciente.

Essa condição pode ser assintomática, de forma que não há nenhum incômodo além do surgimento de placas pilosas no interior da boca.

Qual a diferença entre a leucoplasia pilosa e a leucoplasia oral convencional?

A leucoplasia oral convencional é caracterizada pelo surgimento de placas rígidas no interior da boca que em alguns casos podem causar dor.

Já a leucoplasia pilosa é caracterizada pelo surgimento de placas que possuem pequenos pelinhos em sua superfície e geralmente não provocam nenhum outro sintoma desses.

Além disso, as causas das duas condições são bem distintas, de modo que a convencional está relacionada a hábitos que provocam a irritação dos tecidos bucais enquanto a pilosa está associada à ação de vírus.

Sintomas da leucoplasia pilosa oral

Assim como foi dito anteriormente, a leucoplasia pilosa é uma condição que provoca o surgimento de uma camada branca com uma textura semelhante a pelinhos no interior da boca.

Geralmente essas placas pilosas surgem nas mucosas bucais, sendo o dorso e a lateral da língua as partes mais afetadas.

A leucoplasia pilosa não tende a provocar nenhum outro sintoma além do surgimento dessas placas, ou seja, elas não provocam incômodos como dor e ardência.

Essas manchas esbranquiçadas não são removidas com a higienização bucal, ou seja, não é possível removê-las mecanicamente, seja por raspagem ou pela escovação.

O que causa leucoplasia pilosa?

A leucoplasia pilosa, diferentemente da leucoplasia convencional, é provocada pela atividade do vírus Epstein-Barr (EBV).

Este vírus está presente em grande parte da população, no entanto, a leucoplasia pilosa não é uma condição muito comum.

Isto se deve ao fato de que ele só se ativa quando há um queda na imunidade do paciente, ou seja, na maior parte do tempo ele se encontra inativo.

Sendo assim, na maior parte das vezes esta condição está associada a alguma outra condição que provoca uma baixa na imunidade do paciente.

LEIA TAMBÉM: Leucoplasia causas: veja o que é e o motivo de ela surgir!

Existe alguma ligação entre a leucoplasia pilosa e o HIV?

O HIV é o vírus responsável por provocar a AIDS, que é uma IST (Infecção Sexualmente Transmissível) que é caracterizada por afetar o sistema imune do paciente.

Esse vírus também permanece no organismo do ser humano após a contaminação, no entanto, nem sempre ele se manifesta.

Contudo, quando ele começa a manifestar seus sinais, ele é responsável por afetar o sistema imune do paciente de forma que doenças simples se tornem extremamente perigosas e até mesmo letais.

Desta forma, o fato de prejudicar o sistema imune faz com que o vírus causador da leucoplasia pilosa possa se manifestar, resultando no surgimento das placas pilosas.

Essa relação faz com que esses vírus estejam intimamente ligados, de forma que a presença da leucoplasia pilosa seja um forte indicador da presença da AIDS.

Além do HIV este problema também tende a afetar bastante os pacientes portadores de problemas hematológicos e transplantados, neoplasia hematológica e procedimentos fortes como quimioterapia.

Profissional da saúde avaliando língua de paciente idosa sob suspeita de leucoplasia pilosa oral

Como é feito o tratamento da leucoplasia pilosa?

O tratamento da leucoplasia pilosa geralmente é feito a partir do uso de medicamentos antirretrovirais que são responsáveis por combater o Epstein-Barr.

Geralmente são utilizados medicamentos sistêmicos e tópicos em conjunto, ou seja, medicamentos ingeridos via oral e outros utilizados diretamente sobre a mancha.

Com o passar do tempo, o tratamento feito com os medicamentos antirretrovirais também provocam uma melhoria no sistema imune do paciente, contribuindo para a redução dos sintomas.

No entanto, mesmo após o sumiço por completo dos sintomas dessa condição é importante que o paciente continue o acompanhamento odontológico.

Como prevenir o surgimento da leucoplasia pilosa?

Assim como foi visto anteriormente, a leucoplasia pilosa é uma condição que surge pela ação do vírus Epstein-Barr, que fica ativo apenas quando há um déficit no sistema imunológico do paciente.

Sendo assim, é importante que o paciente mantenha bons cuidados de higiene bucal para evitar o surgimento de complicações que podem afetar seu sistema imunológico.

Para isso é necessário que o paciente adote bons hábitos de higiene bucal, como uma boa escovação dos dentes juntamente com o uso correto do fio dental.

Além disso, também é importante que o paciente realize visitas regulares ao dentista para uma avaliação bucal e para a realização da profilaxia, que é fundamental para a manutenção de uma boa higiene bucal.

Tendo em vista que a leucoplasia pilosa é uma condição que ocorre apenas quando há um déficit do sistema imune, é importante que o paciente busque evitar problemas em seu sistema imunológico.

Logo, para isso é importante que o paciente melhore sua alimentação, consumindo verduras, legumes e frutas, visto que a partir disso ele irá garantir que não haverá déficits vitamínicos.

Juntamente com a boa alimentação também é recomendado que o paciente faça exercícios físicos regularmente, visto que por meio deles é possível fortalecer o sistema imunológico.

Sendo assim, é muito importante que o paciente adote bons hábitos de higiene bucal e uma vida mais saudável, além de também ser recomendado fazer visitas regulares ao dentista para prevenir o surgimento da leucoplasia pilosa.

LEIA TAMBÉM: Leucoplasia é câncer? Descubra tudo sobre aqui!

Visitas regulares ao dentista

As visitas regulares garantem ao paciente a oportunidade de realizar consultas odontológicas e oferecem ao profissional a possibilidade de acompanhar a saúde bucal dos pacientes.

Além disso, através das visitas regulares é possível estabelecer um histórico odontológico, o que garante que o dentista possa ter acesso a todos os procedimentos odontológicos que você já realizou.

Por meio delas também é possível identificar e tratar problemas como a cárie e o tártaro antes que se tornem complicações graves.

Isso só é possível por meio do tratamento precoce, que garante que eles não evoluam ameaçando a saúde de toda a boca.

Por meio delas também é possível realizar tratamentos rotineiros, como a profilaxia, que é a limpeza profissional dos dentes e deve ser realizada de 6 em 6 meses.

A profilaxia também garante a possibilidade de realizar a raspagem de tártaro e remoção da placa bacteriana.

Logo, as visitas periódicas também tornam possível o aconselhamento a respeito de bons hábitos de higiene bucal, fazendo assim com que o paciente melhore seus cuidados diários.

Uma visita à clínica odontológica OralDents não visa só um sorriso mais bonito, mas também uma melhor qualidade de vida.

O seu sorriso é nossa prioridade! Confie na OralDents!

Você também pode gostar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *