Médico examinando língua de paciente em consultório

Leucoplasia é câncer? Descubra tudo sobre aqui!

A leucoplasia é uma condição caracterizada pelo surgimento de placas esbranquiçadas na mucosa oral ou na laringe.

Nesse artigo falaremos mais sobre ela, seu tratamento e se leucoplasia é câncer, confira:

O que é leucoplasia?

Afinal, o que é leucoplasia? A leucoplasia é uma condição provocada pelo surgimento de placas esbranquiçadas no interior da boca ou da laringe do paciente.

As placas que surgem na laringe do paciente geralmente são rígidas, enquanto as que surgem no interior da boca podem ser tanto rígidas quanto pilosas, que são placas que possuem pequenos pelinhos em sua superfície.

Além disso, na maioria das vezes essas placas não tendem a causar nenhum outro tipo de sintoma, como dor ou ardência. No entanto, em alguns casos, pode haver a presença de dor, especialmente nos casos de leucoplasia na laringe.

Na maioria dos casos ela se trata de uma lesão benigna, no entanto, em alguns casos ela é uma lesão pré-cancerígena, ou seja, a leucoplasia é câncer em seu estágio inicial.

Em alguns casos, essa lesão também pode surgir com uma tonalidade avermelhada, no entanto, nesse caso ela recebe o nome de eritroplasia.

A eritroplasia é uma condição que provoca sintomas semelhantes à leucoplasia, porém, na maior parte dos casos a eritroplasia é uma lesão pré-cancerígena.

Quais as causas da leucoplasia?

A leucoplasia oral é caracterizada pela queratinização, ou seja, o espessamento das mucosas bucais, que resulta no surgimento de placas rígidas no interior da boca.

Geralmente isto ocorre por conta da irritação dos tecidos bucais que pode ser derivada do atrito constante entre alguma prótese ou aparelho mal ajustado, assim como dentes quebrados.

Além disso, o consumo de tabaco, seja ele tragável ou mascável, e bebidas alcoólicas também pode irritar esses tecidos bucais e também os da garganta.

Contudo, também há a leucoplasia oral pilosa que ocorre por causa da ação do vírus Epstein-Barr, no entanto, esse vírus geralmente fica inativo no corpo, se ativando apenas quando o paciente sofre uma queda no sistema imune.

Quando ocorre na laringe sua causa tende a estar relacionada ao consumo de bebidas alcoólicas e tabaco tragável, mas também pode ser provocada pelo refluxo gastroesofágico e bulimia, visto que o retorno do ácido estomacal ataca a garganta.

LEIA TAMBÉM: Leucoplasia causas: veja o que é e o motivo de ela surgir!

Leucoplasia sintomas

A leucoplasia é uma condição caracterizada pelo surgimento de uma placa esbranquiçada que pode surgir no interior da boca ou na laringe do paciente que não podem ser removidas através da escovação ou raspagem.

No interior da boca ela pode surgir de duas formas diferentes, sendo a leucoplasia pilosa, que é caracterizada pelas placas que possuem uma textura que se assemelha a pequenos pelinhos em sua superfície.

Já na leucoplasia convencional, essas placas tendem a ser rígidas e não tendem a provocar nenhum outro sintoma como dor e ardência.

A leucoplasia na laringe apresenta como sintomas a formação de placas rígidas nas cordas vocais, o que pode causar rouquidão, dificuldade para deglutir alimentos e a sensação de que há algo preso na garganta.

Nos casos onde se trata de lesões pré-cancerígenas, ela também pode provocar dor para o paciente.

Leucoplasia é câncer?

Na maior parte das vezes, a leucoplasia é uma lesão benigna, ou seja, é uma condição que não tende a provocar nenhuma complicação ao corpo humano.

No entanto, existem alguns casos que a leucoplasia pode ser uma lesão pré-cancerígena, ou seja, que possui a tendência de se tornar um câncer.

Isso acaba fazendo com que na maioria dos casos o profissional exija a realização de um exame de biópsia, para que o tecido possa ser examinado para confirmar ou descartar esta hipótese.

Sendo assim, a leucoplasia não é câncer, porém, não se pode descartar a probabilidade de ela se tornar um, o que torna extremamente importante seu diagnóstico preciso e o tratamento.

Leucoplasia na laringe é câncer?

Assim como a leucoplasia oral, a leucoplasia na laringe também se trata de uma lesão benigna, ou seja, não tende a provocar nenhum tipo de malefício à saúde do paciente.

Sendo assim, apesar de geralmente ser benigno, em alguns casos a leucoplasia na laringe é câncer, portanto, é importante que o paciente realize a biópsia para confirmar ou descartar a possibilidade.

Além disso, independentemente de ser cancerígena ou não, é importante realizar o tratamento dela para evitar que se desenvolva para um câncer.

As lesões também podem surgir com uma tonalidade mais avermelhada, chamadas de eritroplasia, que na maioria dos casos são lesões pré-cancerígenas.

Como é feito o diagnóstico?

Seu diagnóstico é feito por meio de uma avaliação das placas pelo profissional responsável em questão que pode ser um dentista ou otorrinolaringologista.

Após a confirmação da leucoplasia, o profissional geralmente solicita a realização de uma biópsia para avaliar se a leucoplasia é câncer.

No caso da leucoplasia na laringe, o profissional também pode solicitar a realização de uma videolaringoscopia para que ele possa avaliar mais detalhadamente as lesões.

A partir da avaliação clínica, exames de imagem e biópsia o profissional pode definir a melhor forma de tratamento para essa condição e também confirmar se é maligna ou não.

Como é feito o tratamento?

O tratamento da leucoplasia varia de caso para caso, visto que cada um possui suas peculiaridades, o que pode alterar o tratamento.

Assim como sabemos, a leucoplasia não pode ser removida através de uma simples escovação ou da raspagem.

Sendo assim, por existir a possibilidade de ela se tornar uma condição maligna, geralmente os profissionais optam por removê-la.

Sua remoção é feita através de um procedimento cirúrgico que pode ser feito de maneira convencional, a laser, com a eletrocauterização ou com a criocirurgia.

Nos casos de leucoplasia pilosa, onde ela é causada por uma infecção viral, seu tratamento é feito a partir do uso de medicamentos que podem ser tópicos, sistêmicos ou um conjunto dos dois.

A leucoplasia na laringe possui tratamento semelhante ao convencional, de modo que sua remoção é feita através de um procedimento cirúrgico.

Quando a leucoplasia é câncer, é necessário fazer um acompanhamento após sua remoção para prevenir reincidências e fazer alterações no tratamento caso necessário.

Dentista examinando zona bucal de paciente em consultório odontológico

Visitas regulares ao dentista

As visitas regulares garantem ao paciente a oportunidade de realizar consultas odontológicas e oferecem ao profissional a possibilidade de acompanhar a saúde bucal dos pacientes.

Além disso, através das visitas regulares é possível estabelecer um histórico odontológico, o que garante que o dentista possa ter acesso a todos os procedimentos odontológicos que você já realizou.

Por meio delas também é possível identificar e tratar problemas como a cárie e o tártaro antes que se tornem complicações graves.

Isso só é possível por meio do tratamento precoce, que garante que eles não evoluam ameaçando a saúde de toda a boca.

Por meio delas também é possível realizar tratamentos rotineiros, como a profilaxia, que é a limpeza profissional dos dentes e deve ser realizada de 6 em 6 meses.

A profilaxia também garante a possibilidade de realizar a raspagem de tártaro e remoção da placa bacteriana.

Logo, as visitas periódicas também tornam possível o aconselhamento a respeito de bons hábitos de higiene bucal, fazendo assim com que o paciente melhore seus cuidados diários.

Uma visita à clínica odontológica OralDents não visa só um sorriso mais bonito, mas também uma melhor qualidade de vida.

O seu sorriso é nossa prioridade! Confie na OralDents!

Você também pode gostar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *