paciente com estomatite bucal

Estomatite bucal: veja o que é, o que causa e como tratar!

A estomatite bucal é uma condição que provoca o surgimento de úlceras nas mucosas bucais que provocam bastante incômodo como ardência e dor.

Para saber mais a seu respeito, como o que é, o que causa e como tratar continue acompanhando o  artigo abaixo:

O que é estomatite bucal?

A estomatite bucal diz respeito a uma inflamação da mucosa oral que pode ser causada pelo vírus herpes simplex e pelo coxsackie.

Por se tratar de uma condição causada por um vírus que se encontra presente em grande parte da população, é bastante comum que crianças venham a contrair o vírus e o fato de possuírem o sistema imune mais fraco faz com que a estomatite seja mais comum nelas.

Ela pode ser provocada por diversos fatores, dentre eles a reação alérgica ou alimentos e substâncias químicas que irritam a mucosa bucal.

Ela também pode ser encontrada de duas formas, sendo elas a aftosa e a herpética, sendo a aftosa caracterizada pelo surgimento de diversas aftas e a herpética identificada pelo surgimento de manchas vermelhas na boca.

O que causa estomatite bucal?

A estomatite bucal pode ser provocada por vários fatores, sendo que os principais são o vírus herpes simplex e o coxsackie.

No caso do vírus da herpes, ele tende a permanecer inativo no corpo humano, o que faz com que ele se aproveite da baixa imunidade do paciente para se manifestar.

Porém, apesar de que na maior parte dos casos ela é causada por estes vírus, ela ainda pode se manifestar por conta de outros fatores de risco, como:

  • Lesões bucais;
  • Reações alérgicas;
  • Infecções por microrganismos;
  • Tabagismo;
  • Aparelho ortodôntico mal ajustado;
  • Prótese dentária mal ajustada;
  • Consumo de alimentos muito quentes;
  • Alcoolismo;
  • Má higienização bucal;
  • Radio e quimioterapia;
  • Doenças autoimunes;
  • Doenças endócrinas;
  • Medicamentos que afetem o sistema imunológico.

Além disso, ela tende a surgir com maior frequência nos períodos de clima frio e seco, visto que nesse tempo a garganta tende a ficar mais seca e mais suscetível a infecções por microrganismos.

pacientes com sintomas de estomatite bucal

Quais são os sintomas de estomatite bucal?

A estomatite bucal provoca o surgimento de úlceras na língua e na parte interna dos lábios e das bochechas. Além disso, ela tende a provocar outros sintomas como:

  • Lesões recorrentes na boca;
  • Aftas;
  • Manchas vermelhas na garganta e gengiva;
  • Salivação em excesso;
  • Inchaço;
  • Dor ao engolir e ao falar;
  • Sensação de boca ardendo;
  • Sensibilidade na boca;
  • Febre;
  • Mal estar.

É importante lembrar que nem todos os sintomas tendem a aparecer juntos, portanto ao identificar alguns dos sintomas é recomendado que o paciente procure atendimento médico.

Como diagnosticar estomatite bucal?

A suspeita da estomatite bucal pode ser feita através de uma percepção dos sintomas por parte do próprio paciente, que ao identificar o surgimento de pequenas úlceras na parte interna da boca já pode suspeitar.

No entanto, a confirmação do diagnóstico deve vir a partir de um médico, que avaliará os sintomas e, caso necessário, solicitará a realização de alguns exames para auxiliá-lo, como:

  • Análise laboratorial do líquido secretado pelas lesões;
  • Análise dos tecidos e infecções fúngicas;
  • Biópsias;
  • Exames de sangue;
  • Testes de alergias.

paciente tratando estomatite bucal

Como tratar estomatite bucal?

Essa condição geralmente não necessita de um tratamento específico, pois as lesões tendem a desaparecer sozinhas em aproximadamente 2 semanas.

A estomatite bucal também pode ser provocada por vários motivos e seu tratamento pode variar de acordo com sua causa. No entanto, quando o médico não consegue identificar qual a causa, ele pode optar por realizar um tratamento com o objetivo de aliviar ou reduzir os sintomas.

Seu tratamento pode ser realizado de forma tópica, a partir do uso de medicamentos de aplicação direta para aliviar os sintomas e acelerar a recuperação.

Dentre os tratamentos tópicos, é possível citar o uso de corticosteróides para alívio dos sintomas, antibióticos para combater infecção quando provocada por bactérias e o uso de analgésicos para aliviar a dor.

Além disso também existem algumas medidas que podem ser tomadas para aliviar os sintomas, como:

  • Evitar o consumo de alimentos e bebidas quentes;
  • Evitar a ingestão de alimentos muito condimentados;
  • Realizar gargarejos com água fria;
  • Cuidar bem da higienização bucal, através de uma boa escovação dos dentes e do uso correto do fio dental;
  • Hidratar-se bem;
  • Aplicar gelo sobre as lesões;
  • Bochechar uma solução de água com sal.

Nos casos onde as aftas aparecem frequentemente, seu surgimento pode estar relacionado com carências de vitaminas e ao identificar que esta é a sua causa, ele pode receitar o uso de vitaminas para combater o aparecimento.

Também é importante lembrar que algumas vezes essas lesões podem ser malignas, desse modo é importante que o paciente consulte-se com um profissional caso as lesões não desapareçam após 2 semanas.

Como prevenir?

É possível adotar alguns cuidados para se evitar o surgimento da estomatite bucal, dentre os cuidados que podemos adotar, estão:

  • Higienizar os dentes adequadamente;
  • Hidratar-se bem;
  • Adotar uma dieta equilibrada, consumindo diversos tipos de nutrientes;
  • Higienizar bem as mãos;
  • Realizar visitas regulares ao médico e ao dentista.

O que comer quando está com estomatite bucal?

Quando o paciente está com estomatite bucal é recomendado evitar consumir alimentos muito ácidos ou muito condimentados, visto que isso pode acabar provocando incômodos.

Além disso, também é recomendado que o paciente consuma bastante líquidos, para manter a mucosa bucal e o restante do corpo sempre bem hidratados.

Outras indicações de alimentos que podem auxiliar na recuperação e evitar desconfortos são:

  • Iogurte;
  • Sorvete;
  • Gelatina;
  • Suco e vitaminas de frutas não ácidas.

Além disso, o consumo de alimentos em temperaturas mais baixas é indicado, visto que eles podem acabar promovendo um alívio temporário dos sintomas.

LEIA TAMBÉM: Estomatite aftosa recorrente: o que é, causas e tratamentos?

Visitas regulares ao dentista

Através das visitas regulares ao dentista é possível identificar e tratar possíveis complicações antes que elas cheguem a exigir a extração de dente.

Além disso, através das visitas regulares é possível estabelecer um histórico odontológico, o que garante que o dentista possa ter acesso a todos os procedimentos odontológicos que você já realizou.

Por meio delas também é possível identificar e tratar problemas como a cárie e o tártaro antes que se tornem complicações graves.

Isso só é possível por meio do tratamento precoce, que garante que eles não evoluam ameaçando a saúde de toda a boca.

Através delas também é possível realizar tratamentos rotineiros, como a profilaxia, que é a limpeza profissional dos dentes e deve ser realizada de 6 em 6 meses.

A profilaxia também garante a possibilidade de realizar a raspagem de tártaro e remoção da placa bacteriana.

Logo, as visitas periódicas também tornam possível o aconselhamento a respeito de bons hábitos de higiene bucal, fazendo assim com que o paciente melhore seus cuidados diários.

Sendo assim, uma visita a uma clínica odontológica OralDents não visa só um sorriso mais bonito, mas também uma melhor qualidade de vida.

O seu sorriso é nossa prioridade! Confie na OralDents!

Você também pode gostar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *