Dente podre extraído sobre fundo preto

Dente podre: saiba como identificar e tratar o problema

Um dos maiores medos dos pacientes é acabar se descuidando ou ir ao dentista quando tarde demais, descobrindo assim o dente podre.

Por ser um problema mais grave, o tratamento do dente podre envolve a extração de sua estrutura.

Confira aqui tudo o que você precisa saber sobre a complicação e como tratar:

Dente podre, o que é?

O dente podre é como é dado o nome para aqueles dentes que foram consumidos pela cárie, tendo a sua estrutura quase ou completamente destruída.

Dessa forma, uma vez que não diagnosticada e tratada em sua fase inicial, a cárie evolui a ponto de proporcionar grandes estragos ao dente.

Já aqui é muito importante ressaltar a importância das visitas regulares ao dentista para que seja possível que a cárie seja identificada e analisada pelo dentista.

Diante de qualquer suspeita, a visita ao profissional é quase obrigatória. Vale ressaltar que a cárie nem sempre é visível, sendo diagnosticada por meio de exames de imagem.

O melhor tratamento do dente podre é a prevenção, que ocorre pelo controle de consumo de alimentos ricos em açúcar e amidos, uma boa ingestão de água e através de uma higiene bucal periódica e completa.

Normalmente, a cárie é causada pela bactéria Streptococcus mutans, que se desenvolve em camadas da placa dentária acumuladas com o tempo pelo acúmulo de restos de alimentos deixados por uma má higienização bucal.

Lupa de dentista sobre dente podre para melhor visão

Sintomas do dente podre

Para identificar e iniciar o tratamento o quanto antes do dente podre, vale considerar quais são os principais sintomas:

  • Dor de dente;
  • Dor na gengiva;
  • Mau hálito – por conta da ação das bactérias que se alimentam dos resíduos e ocasionam o processo de fermentação no dente;
  • Dente amarelado;
  • Coloração mais escura do dente;
  • Dente sensível;
  • Desgaste dentário;
  • Tártaro;
  • Buraco nos dentes;
  • Inchaço na gengiva;
  • Quebra e queda de parte do dente;
  • Dificuldade ao mastigar;
  • Mudança nos hábitos alimentares – sendo um dos fatores para perceber o dente podre em crianças, que evitaram alimentos duros e crocantes por conta da dor;
  • Sangramentos na gengiva;
  • Maior sensibilidade dos gânglios linfáticos;
  • Inflamações, pus (abcessos), dor crônica e perda dentária em casos mais avançados.

Quando não devidamente tratada, a cárie é capaz de comprometer a polpa do dente, proporcionando muita dor e desconforto por conta de seus nervos e vasos sanguíneos, sendo essencial buscar tratamento o mais cedo possível.

Uma vez que os sinais das cáries podem ser bem sutis, com a dor só sendo sentida com o acometimento da polpa do dente, área mais sensível do dente.

Como é feito o diagnóstico do dente podre?

O diagnóstico do dente podre é feito a partir da avaliação com o dentista. O cirurgião-dentista primeiramente irá examinar a boca do indivíduo, analisando a extensão da cárie e qual a gravidade da situação.

Para ter uma visão interna e mais certa do caso, o dentista irá encaminhar o paciente para um exame radiográfico. Com o resultado, o profissional será capaz de encaminhar o paciente para o tratamento ideal, evitando a evolução do problema para algum caso de infecção.

Vale ressaltar ainda o perigo que é deixar a infecção se alastrar, podendo o quadro se alastrar para uma condição de sepse, na qual a pessoa sente fadiga e dor crônica.

Criança com dente podre

Não só são os dentes permanentes que são suscetíveis ao aparecimento das cáries, os dentes de leite, ou decíduos, também podem “apodrecer” por esse motivo.

Os sintomas da cárie nas crianças são semelhantes aos percebidos em adultos, cabendo aos pais ou responsáveis perceberem os sinais, que podem ser percebidos em queixas de dor e reclamações para comer alimentos duros ou crocrantes.

Nos primeiros anos de vida, é normal que haja a chamada cárie de leite, que se desenvolve em crianças que dormem mamando no peito ou mamando mamadeira, não havendo a escovação/higienização necessária dos dentes.

Como tratar o dente podre?

Os dentes podres podem ser tratados de diversas formas, o que vai depender da gravidade do caso.

Os tratamentos envolvem desde a reversão da cárie, a prevenção da infecção, a recuperação da vitalidade do dente ou até mesmo a restauração da saúde bucal.

Confira quais são as principais formas de tratamento:

Restauração dentária: a realização da restauração vai depender do nível de comprometimento do dente, visando remover o tecido cariado e restaurar o dente esteticamente. Para isso, primeiro o dentista irá remover a porção comprometida, limpando em seguida a região do dente para que haja o preenchimento do dente com material sintético, que pode ser porcelana, resina, prata ou ouro.

Dentista segurando escultura de dente cariado em consultório odontológico

Tratamento de canal: o tratamento de canal é a opção de tratamento caso a cárie acabe atingindo a polpa, região central e sensível do dente. Dessa forma, para o procedimento, há a remoção do tecido morto e da raiz do dente. Casos de cáries mais extensas, capazes de enfraquecer a estrutura do dente, como em cáries presentes na raiz do dente, o dentista poderá fazer a aplicação de uma cobertura artificial sobre a região, a coroa dentária.

Implante dentário: casos mais graves, nos quais praticamente todo o dente está comprometido, a extração de sua extração será a única opção. Com a remoção do dente, será feita a sua substituição por um dente sintético.

Prevenção do dente podre

Como vimos, mais importante do que o tratamento é a prevenção do problema. Para isso, deve-se atentar a bons hábitos para que a cárie não venha a aparecer e se desenvolver.

Logo, vale evitar o consumo de alimentos muito açucarados e ricos em amido, já que tendem a grudar mais facilmente no esmalte dentário e não serem removidos facilmente na escovação.

Por isso, preze por uma escovação precisa de 2 a 3 vezes ao dia, com um creme dental com flúor e uma escova de cerdas macias, sendo uma acompanhada do uso do fio dental.

Manter uma boa ingestão de água ajuda no controle das bactérias na boca e também deve virar um hábito. Com isso, se previne não só a cárie e o dente podre, mas também a placa bacteriana, o tártaro e doenças gengivais.

Por fim, as visitas regulares ao dentista são essenciais para que esses problemas sejam evitados, contando com as orientações feitas pelo dentista de acordo com as particularidades de seu caso.

Visitas regulares ao dentista

As visitas regulares garantem ao paciente a oportunidade de realizar consultas odontológicas e oferecem ao profissional a possibilidade de acompanhar a saúde bucal dos pacientes.

Além disso, através das visitas regulares é possível estabelecer um histórico odontológico, o que garante que o dentista possa ter acesso a todos os procedimentos odontológicos que você já realizou.

Por meio delas também é possível identificar e tratar problemas como a cárie e o tártaro antes que se tornem complicações graves.

Isso só é possível por meio do tratamento precoce, que garante que eles não evoluam ameaçando a saúde de toda a boca.

Por meio das consultas também é possível realizar tratamentos rotineiros, como a profilaxia, que é a limpeza profissional dos dentes e deve ser realizada de 6 em 6 meses.

A profilaxia também garante a possibilidade de realizar a raspagem de tártaro e remoção da placa bacteriana, o que auxilia na prevenção da gengivite.

Logo, as visitas periódicas também tornam possível o aconselhamento a respeito de bons hábitos de higiene bucal, fazendo assim com que o paciente melhore seus cuidados diários.

Uma visita a uma clínica odontológica OralDents não visa só um sorriso mais bonito, mas também uma melhor qualidade de vida.

O seu sorriso é nossa prioridade! Confie na OralDents!

Você também pode gostar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *