imagens ilustrativas de câncer de boca

Câncer de boca sintomas iniciais, causas e tratamentos!

O câncer de boca refere-se a tumores malignos que se desenvolvem nos tecidos da cavidade oral, que inclui os lábios, a língua, o revestimento interno das bochechas, as gengivas, o céu da boca (palato duro), o assoalho da boca e a parte posterior da garganta. 

Entenda mais sobre o câncer de boca sintomas aqui:

Tipos de câncer de boca

Com a preocupação dos sintomas, de como é e como é tratado, a pergunta mais evidente neste caso é: existem mais de um tipo de câncer de boca? E a resposta é sim! Saiba mais sobre eles abaixo.

  1. Carcinoma de células escamosas
    O carcinoma de células escamosas (CCE) é o tipo mais comum de câncer de boca e representa a maioria dos casos diagnosticados nesta região. Ele se desenvolve nas células escamosas, que são células planas e finas que revestem a superfície da boca, incluindo a língua, gengivas, lábios, palato e bochechas.
  2. Carcinoma de língua
    O carcinoma de língua é um tipo de câncer que se desenvolve nas células da língua. Pode ocorrer na parte anterior (língua oral) ou na parte posterior da língua (língua faríngea).
  3. Carcinoma de gengiva
    O carcinoma de gengiva é um tipo de câncer que se desenvolve nas células da gengiva. Assim como outros tipos de câncer bucal, o carcinoma de gengiva geralmente é classificado como carcinoma de células escamosas (CCE), uma vez que se origina nas células escamosas que revestem a superfície da gengiva.
  4. Carcinoma de palato duro e palato mole
    O carcinoma de palato duro é um tipo de câncer que se desenvolve nas células do palato duro, que é a parte óssea e rígida do céu da boca. O carcinoma de palato mole é um tipo de câncer que se desenvolve nas células do palato mole, que é a parte posterior e flexível do céu da boca.
  5. Carcinoma de lábio
    O carcinoma de lábio é um tipo de câncer que se desenvolve nos lábios, mais comumente no lábio inferior. Este tipo de câncer está frequentemente associado à exposição ao sol. Causando inchaço e inflamação dos lábios.
  6. Carcinoma de bochecha e mucosa bucal
    O carcinoma de bochecha e mucosa bucal é um tipo de câncer que se desenvolve nas células da bochecha e na mucosa bucal (tecido úmido que reveste a parte interna da boca).
  7. Carcinoma de assoalho bucal
    O carcinoma de assoalho bucal é um tipo de câncer que se desenvolve nas células do assoalho da boca, a área inferior da cavidade oral.
  8. Carcinoma de glândulas salivares
    O carcinoma de glândulas salivares é um tipo de câncer que se forma nas células das glândulas salivares, as quais são responsáveis pela produção de saliva. Essas glândulas estão localizadas em diferentes partes da cavidade oral e áreas adjacentes, incluindo as glândulas parótidas (localizadas perto das orelhas), as glândulas submandibulares (abaixo da mandíbula) e as glândulas sublinguais (abaixo da língua).

Causas do câncer bucal

homem com cigarro partido na mão

Tabagismo: O uso de produtos de tabaco, como cigarros, charutos, cachimbos e tabaco para mascar, é um dos principais fatores de risco para o câncer bucal. Os produtos do tabaco contém substâncias químicas carcinogênicas que podem causar danos às células bucais.

Consumo de álcool: O consumo excessivo e frequente de álcool está associado a um maior risco de desenvolver câncer bucal. O risco aumenta significativamente quando o consumo de álcool é combinado com o tabagismo.

Infecção por HPV (Vírus do Papiloma Humano): Certas cepas do HPV, um vírus sexualmente transmissível, estão associadas ao desenvolvimento de câncer bucal. O HPV pode ser transmitido através de contato sexual, incluindo o sexo oral.

Exposição ao sol: A exposição crônica e sem proteção aos raios solares, especialmente nos lábios, pode aumentar o risco de câncer nos lábios.

História familiar: Pessoas com parentes de primeiro grau que tiveram câncer bucal podem ter um risco ligeiramente aumentado.

Dieta pobre em frutas e vegetais: Uma dieta pobre em frutas e vegetais, que são fontes de vitaminas e antioxidantes, pode estar associada a um aumento do risco.

Lesões orais crônicas: Lesões persistentes na boca, irritações crônicas, ou condições pré-cancerígenas como leucoplasia (manchas brancas na boca) podem aumentar o risco.

Amianto: A exposição ocupacional ao amianto pode aumentar o risco de câncer de glândulas salivares.

Saúde bucal x câncer de boca

O câncer bucal pode ter várias causas e muitas vezes é resultado de uma combinação de fatores. Dentre elas está falta de higiene bucal adequada.

A falta de higiene oral adequada, incluindo escovação regular e uso de fio dental, pode contribuir para o desenvolvimento do câncer bucal.

Sintomas de câncer de boca

Qual sintomas de câncer de boca pode causar? Confira:

  • Feridas ou úlceras que não cicatrizam, na língua, gengiva, palato duro e mole, lábio e bochecha.
  • Manchas vermelhas ou brancas na boca.
  • Dor persistente na gengiva, palato, lábio, bochecha e mucosa bucal.
  • Dificuldade ao falar, mastigar e engolir.
  • Inchaço ou caroço na boca e palato.
  • Sensação de nódulo ou caroço na língua.
  • Espessamento na gengiva, lábio, bochecha ou mucosa bucal.
  • Mudanças na voz.
  • Céu da boca machucado.
  • Sangramento na língua, na área do palato duro, lábio, na bochecha ou mucosa bucal.
  • Mudanças na cor ou textura do lábio.

A detecção precoce, o diagnóstico e o tratamento adequado são fundamentais para melhorar as perspectivas de recuperação. Pessoas com fatores de risco devem estar especialmente atentas a mudanças na boca e procurar atendimento médico se notarem algo incomum. 

Como é feito o diagnóstico de câncer de boca?

médico analisando resultado de exame de paciente com suspeita de câncer de boca

O diagnóstico de câncer bucal pode ser feito através de uma consulta ao dentista. O cirurgião dentista irá analisar o caso, sintomas e solicitar alguns exames de confirmação.

Poderá ser solicitado exames clínicos, exames de imagem e, muitas vezes, uma biópsia. 

O profissional de saúde, frequentemente um dentista realiza um exame clínico detalhado da boca e regiões adjacentes. Isso inclui examinar a língua, as gengivas, o palato, a parte interna das bochechas e os lábios em busca de sinais de anormalidades.

Podem ser realizados exames de imagem para avaliar a extensão do câncer e sua localização. Exames comuns incluem radiografias, tomografia computadorizada (TC) e ressonância magnética (RM).

Biópsia: Se houver suspeita de câncer bucal, uma biópsia é geralmente realizada para confirmar o diagnóstico. Durante uma biópsia, uma amostra de tecido suspeito é retirada para análise laboratorial. Existem diferentes tipos de biópsias, como a biópsia por punção, a biópsia excisional (remoção completa da lesão) ou a biópsia incisional (remoção de uma parte da lesão).

Citologia por escovação: Em alguns casos, a citologia por escovação ou esfregaço pode ser realizada para coletar células da superfície da lesão ou mucosa oral. Essas células são examinadas ao microscópio para procurar sinais de malignidade.

Exames laboratoriais: Exames laboratoriais podem ser conduzidos para avaliar a presença de fatores relacionados ao câncer, como a presença do vírus do papiloma humano (HPV).

Sempre que tiver dúvidas sobre alguma anormalidade na mucosa bucal procure um dentista para sanar suas dúvidas e perguntas, afinal, saber mais sobre sua saúde bucal nunca é demais e pode ajudar na prevenção e acompanhamento precoce de doenças bucais.

Tratamentos

boca de mulher sendo avaliada por dentista

O tratamento do câncer bucal pode variar com base no estágio da doença, localização do tumor, tipo de câncer, saúde geral do paciente e outros fatores individuais. Geralmente, o tratamento envolve uma combinação de modalidades para maximizar a eficácia. 

  1. Cirurgia de Ressecção Tumoral: A cirurgia de ressecção tumoral é frequentemente realizada para remover o tumor e parte do tecido circundante. Em casos avançados, pode ser necessário remover partes maiores da mandíbula, língua ou outros tecidos afetados.
  2. Linfadenectomia: Se o câncer se espalhou para os gânglios linfáticos, uma linfadenectomia (remoção dos gânglios linfáticos) pode ser realizada.
  3. Imunoterapia: A imunoterapia estimula o sistema imunológico do corpo a combater as células cancerosas. É uma abordagem em evolução e pode ser utilizada em conjunto com outras formas de tratamento.
  4. Terapia alvo: Medicamentos direcionados a alvos específicos nas células cancerosas podem ser usados para tratar alguns tipos de câncer bucal.
  5. Terapia fotodinâmica: Uma técnica que envolve a aplicação de uma substância fotossensível seguida de exposição à luz especial para destruir células cancerosas.
  6. Reabilitação e cuidados paliativos: Após o tratamento, a reabilitação pode ser necessária para restaurar funções como fala, deglutição e mastigação. Cuidados paliativos também podem ser integrados para melhorar a qualidade de vida do paciente.

O tratamento do câncer bucal é personalizado para cada paciente, e a decisão sobre a melhor abordagem é tomada em conjunto pela equipe médica, que pode incluir cirurgiões, oncologistas, radiologistas, dentistas e outros profissionais de saúde.

Visitas regulares ao dentista

As visitas regulares garantem ao paciente a oportunidade de realizar consultas odontológicas e oferecem ao profissional a possibilidade de acompanhar a sua saúde bucal e prevenir doenças.

Além disso, por meio das visitas regulares é possível estabelecer um histórico odontológico, o que garante que o dentista tenha acesso aos procedimentos odontológicos já realizados e a possíveis tratamentos para garantir a sua saúde bucal.

A visita a uma clínica odontológica OralDents não visa só um sorriso mais bonito, mas também uma melhor qualidade de vida.

O seu sorriso é nossa prioridade! Confie na OralDents!

Você também pode gostar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *